Star Wars, Sombras do Império

Planeta Desconhecido

Sessão 12

Após a árdua batalha contra o ex-senador Jar Jar Binks, o grupo ficou dividido em três partes:

- Um pod de fuga com a Isadora, Kronna, Kallya, a Senadora Alderaniana Allya Song, o nobre Alderaniano Bollen Sends, Panaka e três dos seus soldados.

- O segundo pod de fuga estava Kaura (ferido), Sonja (apagada por um calmante aplicado por Kaura) e Linux entrando pelo airlock.

- E a Y-Wing pilotada por Ragnar e com Anton Sor-Ed como copiloto. Ao entrar no planeta sentiu um eco de dor, tristeza e sofrimento, como se permeasse todo o planeta.

O primeiro pod, pilotado por Isadora, não conseguiu pousar adequadamente e alguns membros ficaram feridos. O segundo pod e a Y-Wing não tiveram problemas para pousar.

Pousaram no único continente, na parte sul, do planeta dominado por água e parece ser não-habitado, só há vida selvagem à volta deles. Eles pousaram numa planície próxima a um rio que deságua numa baía, com animais a sua volta.

Depois de gastar um tempo procurando um abrigo, Ragnar localizou um próximo à praia, mas com humidade que vem com a maré. Isadora conseguiu localizar uma toca escavada num pequena colina que dá para abrigar a todos, embora não dê para todos dormirem nela. Depois disso o grupo começou a fazer um levantamento do terreno em volta, a caçar e pensar em meios de sair dalí, enquanto Kallya cuidava dos ferimentos. Chegou a ter um início de discussão entre a senadora Allya Song e o grupo, mas logo se calou, se tornando mais cooperativa.

Durante sua meditação, Ragnar sentiu uma presença, uma espécie de farol de paz e tranquilidade na escuridão de tristeza, dor e sofrimento que havia no planeta. Ele imediatamente se levantou em partiu em direção ao farol. IsadoraLinux, quando notaram a sua ausência começaram a rastreá-lo, mas estavam bem atrás dele. Isadora chegou a sentir o farol durante a caminhada, assim como a Sonja, que também partiu na direção dele, mas um dia de distância.

Ragnar caminhou por dois dias, parando muito pouco para se alimentar e descansar, ao final chegou numa região de morros grandes, quando sentiu um forte tremor de terra, também sentido por IsadoraLinux, e quase caiu. Foi surpreendido por um enorme olho (ou algo bem parecido com isso) se abrindo na própria rocha e conversando com ele num ritmo bem lento. Por não ter um nome Ragnar o chamou de Mon e ele explicou que o tormento de sua amiga o despertou, que sente a Força, embora de forma diferente. Disse que uma escuridão se aproximava do planeta, uma oportunidade para saírem do planeta. Disse também que há alguém que poderia ajudá-lo com seu treinamento no planeta no extremo norte, mas também havia perigo. Por último, falou que poderia falar com a amiga conflituosa. Ragnar agredeceu e retornou para o acampamento, sendo interceptado por Linux, que quase deu um tiro stun nele, mas Isadora interveio.

Enquanto isso, Anton Sor-Ed fazia um levantamento do terreno, mas numa escala maior e acabou encontrando um resquício de civilização, o que parece ser um fragmento de plasduro. Retornou ao acampamento, mas ninguém conseguiu identificar direito o que era ou a quanto tempo está ali.

Já no quinto e sexto dia, Anton Sor-EdLinuxIsadora começaram a canibalizar os pods para ver o que conseguiriam utilizar de útil, como também tentar montar um radar para poder detectar naves se aproximando, já que há a suspeita de que o Império estava se aproximando. Eles conseguiram montar um radar funcional com um bom alcance, podendo detectar naves maiores até mesmo no espaço.

No sexto dia RagnarSonja pegaram a Y-Wing e partiram para o extremo norte, seguindo o que Mon disse. No meio do caminho identificaram um estranha criatura caminhando no solo, maior do que os bisões que viram, que ao percebê-los correu e entrou numa caverna nas regiões montanhosas e frias. Desceram para investigar, mas nada encontraram e, depois de algumas horas foram atacados por algumas dessas criaturas, fazendo-os recuar até a Y-Wing e partirem. Quando decolaram viram cerca de 50 criaturas dessas correndo pelas montanhas, tentando acompanhar a direção da nave.

Quando estavam indo ainda mais para o norte sentiram a nave sendo puxada por alguém usando a Força e foram forçados a parar. Ao saltarem da Y-Wing perceberam uma caverna que não foi feita naturalmente, entraram nela e viram que um portão parecia ter sido arrombado à força de dentro para fora.

À noite Anton Sor-Ed levantou para render um dos soldados que não havia lhe chamado para substituí-lo, foi quando notou que ele estava desaparecido. Procurando os rastros encontrou uma criatura horrenda comendo os restos do soldado. Começou uma batalha e, com a ajuda de Linux, conseguiram derrotar a criatura. Analisando-a, a criatura parecia ser um poderoso predador, com garras muito afiadas e com uma mordida venenosa.

Comments

jairvianna jairvianna

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.