Star Wars, Sombras do Império

Ataque dos Monstros

Sessão 13

Sonja e Ragnar abrigam-se na estranha caverna e aproveitam para explorá-la enquanto as criaturas não chegam. Após uma rápida procura descobrem que a caverna abriga uma antiga base de pesquisas, agora totalmente destruída. Bem no fundo encontram uma área  um pouco diferente, com paredes de metal ao invés de aproveitar a própria rocha, e com uma porta de metal ao lado de um leitor biométrico. Sonja tenta abrir a porta usando um lightsaber, mas a porta estava com selagem magnética, fazendo com que explodisse o plasma, ferindo-a superficialmente.

Sonja vai até a entrada da caverna para verificar a situação e percebe que as crituras simplesmente não entram na caverna e tomados por uma grande fúria, começaram a depredar o Y-Wing. Enquanto isso, Ragnar começa a burlar o leitor biométrico.  Depois de uma hora conseguiu desligar o sistema de força da porta, o que permitiu a eles cortarem a porta com um lightsaber. Lá dentro encontraram uam sala bem preservada, com quatro tubos grandes semelhantes à tanques de bacta, sendo que um deles possuía uma mulher branca de cabelos negros na altura dos ombros e nua. Tambám havia um controle numa linguagem estranha, com um pequeno tubo de vidro deitado sobre a console, de um lado havia cabos conectados à ele e, desse mesmo lado, saía um pequeno feixe de energia que fazia o cristal flutuar e brilhar.

Primeiro Ragnar tentou acessar o painel de controle, mas estava numa lingua que não conhecia. Depois, fascinado pelo cristal, desconectou um dos cabos e pegou o cristal de dentro do tubo, já que o feixe cessou ao retirar o cabo. Tentando libertar a mulher, conseguiu ativar o comando e inicar o processo.

Quando iniciou o processo Sonja ouviu um estranho barulho e ao entrar no salão se deparou com duas criaturas avançando nela. Conseguiu recuar, mas foi ferida pela criatura, mas conseguiu derrotá-la no fim das contas. Ragnar interveio na segunda criatura usando a Força para levantá-la no ar e matá-la jogando-a contra um objeto perfurante na parede. Pegaram a mulher inconsciente, entraram na nave e fugiram na Y-Wing.

Na parte sul do continente, Linux e Anton Sor-Ed verificavam a estranha criatura que matou um dos soldados do Panaka. Após uma discussão, foram em direção ao outro abrigo próximo à praia. IsadoraAnton Sor-Ed saíram para buscar rastros, descobriram que havia mais criaturas e acharam o seu covil. Isadora sentiu um lugar que poderia ser seguro para todos e, com a ajuda do Linux, convenceu a todos a partirem para lá.

Durante a caminhada, no final da noite, foram emboscados por cinco criaturas, que acabaram matando os dois soldados do Panaka, a senadora Allya Song e o nobre Alderaniano Bollen Sends. Só que no meio do combate Sonja e Ragnar chegaram de Y-Wing e ajudaram a derrotar as últimas criaturas. Isadora, LinuxKaura e o Panaka sairam feridos do combate. Por fim cremaram os corpos dos mortos e partiram em direção ao local indicado pela Isadora, com o Linux pilotando a Y-Wing com todo mundo se segurando nela, indo bem devagar.

Sonja e Ragnar, carregando a mulher ainda inconsciente, pararam no que seria a cabeça de Mon, que explicou algumas coisas à ambos, dizendo que a mulher seria de ajuda para eles, como também eles a ajudariam. Também disse que Sonja futuramente estaria atrás de sua irmã.

Comments

jairvianna jairvianna

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.